acesso a redes sociais
  • RSS
  • twitter
tabela de conversão
  • tabela de conversão
Anunciante no Portal Naval
  • anunciar no site
Novo terminal

Fi-FGTS vai adquirir um terço da Embraport

28/10/2008 | 22h00

O Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (Fi-FGTS) vai adquirir por R$ 450 milhões um terço do capital da empresa Embraport, do grupo Coimex, que construirá um novo terminal para embarques e desembarques de mercadorias no porto de Santos (SP). Esse é o segundo investimento do Fundo, que já destinou outros R$ 500 milhões ao projeto de ampliação da malha ferroviária, conduzido pela concessionária América Latina Logística (ALL).

Criado há pouco mais de um ano, o FI-FGTS deve encerrar 2008 com investimentos definidos em três projetos de infra-estrutura. Até o final do ano, a Caixa Econômica Federal, responsável pela gestão do FI, espera concluir as negociações de um terceiro negócio.

O vice-presidente de Gestão de Recursos de Terceiros da Caixa, Bolívar Tarragó Moura Neto, informou que esse projeto será na área de energia elétrica, mas não deu outros detalhes em razão da cláusula de confidencialidade que o banco tem que respeitar até que haja decisão.

A crise financeira internacional não deverá ser obstáculo às negociações do Fi e nem impedirá o fechamento de financiamentos necessários às obras escolhidas para aplicações do fundo, na avaliação de Tarragó. “Falamos de investimentos de longo prazo e, por isso, não vemos sentido em nos retrair por causa da crise”, declarou.

No caso do novo terminal do Porto de Santos, a capacidade anual do projeto, que ocupa área de um milhão de metros quadrados, é de movimentar 1,2 milhão de contêineres e dois milhões de metros cúbicos de etanol.

O início das obras do terminal está previsto para 2009 e a entrada em funcionamento, em 2011. “Será o maior terminal, do maior porto da América Latina, um obra importante para ampliar a capacidade do porto de Santos e para o Brasil”, afirmou Tarragó.

PAC. O Fi-FGTS é parte das ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado em janeiro de 2007, e foi criado com o objetivo de apoiar obras de infra-estrutura.

Na primeira etapa, o Fi recebeu R$ 5 bilhões, mas o total de recursos pode chegar a R$ 17 bilhões. Esse dinheiro é separado dos recursos depositados em cerca de 40 milhões de contas individuais de empregados com carteira assinada no país.

Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar
separador menu